5 aprendizados do ensino a distância

O ensino a distância se popularizou ainda mais por todo o mundo no último ano, devido especialmente à disseminação do coronavírus e à necessidade de frear o contágio. Com isso, escolas e universidades foram fechadas para as atividades presenciais e, em muitos casos, tiveram suas atividades suspensas durante meses no Brasil.

Depois de algum tempo, as aulas foram retomadas, porém na modalidade 100% remota, em seguida, alguns locais começaram a retomar aos poucos e de forma escalada a ida à escola, transformando o formato de ensino em híbrido.

Neste sentido, tornou-se possível extrair diversos aprendizados e lições do ensino a distância, as quais a nossa humanidade poderá levar para posteridade. Neste artigo, você vai entender um pouco melhor o que é e como funciona o ensino a distância, e vai ainda conferir 5 aprendizados que ficam deste período tão turbulento e duro, mas que também trouxe crescimento em muitos sentidos.

Boa leitura!

O que é ensino a distância

Ensino a distância é uma modalidade do processo de aprendizagem. Ou seja, não ocorre a presença física simultânea do professor e dos alunos dentro de uma sala de aula. O que acontece, por outro lado, é essa sincronicidade do ensino através dos recursos tecnológicos disponíveis.

Sejam eles plataformas educacionais direcionadas, sejam recursos que facilitam o compartilhamento, e até mesmo plataformas para sediar aulas online. Todos eles possibilitam a integração entre os grupos de estudantes, trazendo maior similaridade com o que seriam as aulas presenciais.

Assim, entende-se como ensino a distância toda e qualquer atividade educacional que seja realizada de forma não presencial, através da internet. A própria ESR é uma instituição de ensino que oferece cursos e capacitações focadas no mercado de tecnologia da informação. Inclusive alguns dos nossos produtos já foram desenvolvidos diretamente para serem ofertados na modalidade a distância.

Aqui entra um dos principais motivos de conflitos quando se aborda o assunto de ensino a distância compreendido como a simples adaptação do ensino presencial. O ensino a distância tem uma conformação diferente, públicos diferentes, hábitos diversos e, portanto, não pode ser entendido como uma mera adaptação das aulas presenciais.

A concepção de um curso para o formato remoto passa por necessidades muito distintas daquele presencial, de modo que os gestores responsáveis precisam ter isso em mente. Assim, desenvolver um curso desde o início para o modelo remoto é totalmente diferente de pensar em adaptações de um curso presencial para o formato online. Esse entendimento é fundamental para quem deseja implementar algum tipo de atividade educacional remota.

5 aprendizados do ensino a distância

Já demos um spoiler sobre aprendizados, que é a questão da adaptação ou não do formato presencial para o remoto e do quanto isso agrega eficiência de fato, quando são necessidades completamente diferentes em jogo. Vamos, então, conferir essa lista de 5 aprendizados que tivemos com os últimos acontecimentos a respeito de ensino a distância.

1. Não realizar comparações entre os modelos

A primeira dica e aprendizado que tivemos enquanto instituição de ensino neste período é a de não comparar o que está sendo necessário — o ensino a distância — com o que era o planejado inicialmente, antes da chegada da pandemia, por exemplo.

Cada modalidade de ensino possui suas vantagens e seus pontos de atenção, e entrar no mérito de julgar que uma é melhor do que a outra não irá levar a lugar nenhum neste momento em que não há alternativas. A ideia é buscar ofertar o melhor ensino a distância possível, dentro da realidade disponível.

2. Planejar as atividades, mas sem engessar as aulas

A necessidade de planejamento é tão grande ou maior no modelo online do que nas aulas presenciais — especialmente se você não tiver familiaridade com este formato. No entanto, é preciso compreender a dinâmica das aulas remotas para não usar o planejamento como um roteiro fechado e engessado.

As aulas no ensino a distância exigem dinamismo por parte dos instrutores, para que os alunos se mantenham interessados e engajados. Por isso, é preciso ter em mente o que será feito, tratado e abordado, porém é preciso incluir nesse meio alguns momentos de atividades lúdicas, interações e descontrações.

3. Oferecer flexibilidade

Devido justamente ao contexto em que se encontram alunos de ensino a distância, é preciso garantir uma certa flexibilidade dentro dos planejamentos. Desde os horários das aulas síncronas, por exemplo; passando pela possibilidade de gravação das aulas para os alunos que não puderam estar presentes no horário síncrono possam consumir o conteúdo posteriormente; até a disponibilização de atividades com antecedência da data de entrega.

As rotinas das pessoas se tornaram quase que 100% digitais. A terapia é online, atividade física também, as festas e happy hours são feitos de forma online, as pessoas trabalham online e também estudam desta forma. Assim, é preciso oferecer as condições mais adequadas possíveis às necessidades deste público, e a flexibilidade é um ótimo caminho para isso.

4. Variar formatos

Pensando ainda na ideia da flexibilidade, a variação de formatos de conteúdos em aulas é um grande aprendizado que fica do e para o ensino a distância. Os gestores e professores devem pensar em atividades que envolvam o máximo possível de recursos diferentes, como fotografia, vídeos, textos, mapas interativos, diagramas, rodas de conversa, debates etc.

Assim, os estudantes conseguem ficar mais interessados, engajados e motivados a seguir participando das aulas e se dedicando às atividades. Para isso é possível contar com consultorias especializadas, e também profissionais da educação familiarizados com tecnologia que podem contribuir com ideias no seu plano de ensino.

5. Utilizar plataformas de ensino qualificadas

O último aprendizado da nossa lista de hoje é o de estar acompanhado de especialistas no assunto ensino a distância. Ao utilizar sistemas que não possuem recursos suficientes, que travam ou que demoram a carregar, por exemplo, os gestores poderão desmotivar os estudantes e até os próprios professores.

Plataformas que permitem escalar o aprendizado através da publicação dos conteúdos e divulgação para todas as turmas. Por exemplo, e até mesmo que proporcionam interatividade e aguçam a curiosidade, são muito bem-vindas.

> Confira um artigo sobre os principais aprendizados do e para o ensino a distância para aprofundar ainda mais o seu conhecimento.

Como você pode ver por este conteúdo, o blog da ESR trata de assuntos dos mais variados que você possa imaginar, porém sempre relacionados à tecnologia da informação e suas inúmeras ramificações e influências. Por isso, para manter sua atualização em dia, continue acompanhando este blog, e confira também nosso calendário de cursos!

5 1 votar
Article Rating
Inscrever
Notificar
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários
0
Adoraria seus pensamentos, por favor, comente.x
()
x