Data Center – Como se preparar para as migrações de alta velocidade

Devido às necessidades e demandas crescentes do mercado, os gestores dos Data Centers precisam se adequar às altas velocidades para atendê-las. Conheça as tendências de velocidade e como os gestores podem se preparar para as migrações de alta velocidade.

A crescente demanda de utilização de Big Data, mobilidade e Internet das Coisas (IoT) estão gerando um enorme volume de dados. E os provedores de serviços de data centers precisam encontrar formas de suportar velocidades cada vez mais altas para atender essa demanda.

Tendências recentes apontam que os requisitos de banda larga continuarão crescendo de 25% a 35% ao ano, e o ponto fundamental para isso é a mudança para mais  velocidades de comutação. 

Em webinar organizado pela ESR, o especialista em governança de TI Edson Gaseta e o Engenheiro Luis Domingues, responsável pela CommScope no Brasil, discutiram o tema.

Tendências de tráfego

Domingues explica que a pandemia de Covid-19 acelerou ainda mais um processo que já estava acontecendo: o da migração dos negócios para o ambiente digital. E que isso exigiu que os Data Centers se adaptassem rapidamente a uma demanda crescente.

No infográfico abaixo é possível perceber a velocidade com que o tráfego tende a aumentar em uma projeção para o período entre os anos de 2016 e 2022.

“O gestor do Data Center atualmente não pode pensar apenas no hoje, precisa pensar também no amanhã”, declara Domingues.

O resultado é que os consumidores tendem a ficar cada vez mais exigentes com os serviços e qualidades dos provedores de internet e uma geração que já nasceu digital e está começando a entrar no mercado de consumo será ainda mais rigorosa nesse aspecto. Portanto é importante que as empresas estejam preparadas.

“O planejamento é para que os Data Centers atuais durem, no mínimo, 10 anos”, reforça Domingues sobre a necessidade de ficar atento às tendências.

A quantidade de dispositivos conectados à rede mundial também cresceu exponencialmente. Segundo o Gartner a tendência é que em 2021 esse número chegue a 25 bilhões de dispositivos conectados em todo o mundo.

As necessidades de upgrades nos sistemas de Cloud Computing – sejam públicos, privados ou híbridos – também é outra necessidade do mercado a qual os Data Centers precisam se adaptar.

O gráfico abaixo deixa claro o quanto o tráfego de dados aumentou nos últimos anos.

O processamento de todos esses dados acontece nos Data Centers em mais de 70% das vezes. Isso faz com que até mesmo a arquitetura dos DCs esteja mudando de uma estrutura em 3 tiers para 2 tiers.

A tendência, então, é que a velocidade de migração de 10G seja substituída por uma estrutura que chegue até aos 400G. Um crescimento exponencial.

Portanto é essencial que o profissional desse mercado esteja sempre atualizado e constantemente estudando, pois as transformações têm acontecido de forma muito acelerada.

Desafios atuais no planejamento de Data Centers

Com todos esses avanços é natural que novas tecnologias, mais eficientes, entrem gradativamente no mercado.

Isso gera alguns desafios para os profissionais da área. Alguns deles são:

– Aumento da quantidade de portas de equipamentos e a densidade de fibras;
– Redução de downtime;
– Redução de latência;
– Suporte à capacidade de link rápido;
– Preparar-se para a migração para altas velocidades.

Especialmente nesse último ponto, algumas considerações importantes precisam ser feitas, com base nas tendências já apontadas anteriormente.

Considerações para a migração de Data Centers para alta velocidade

  1. Compreender as opções e até que ponto deseja ir – É necessária uma boa compreensão das distâncias e tipos de fibra que estão sendo utilizadas, quão longe precisará chegar e com qual largura de banda. Até alguns anos atrás, 40G era considerada “alta velocidade”, porém, hoje essa tecnologia foi substituída rapidamente por fibra óptica de 100G. Algumas das questões que precisam ser encaradas são: posso ir com um cabo ponto a ponto, ou preciso de reconfiguração e pontos de teste? Que tipo de capacidade preciso e qual a curva de crescimento que deveria esperar? Que velocidade devo planejar para 25G, 40G ou 50G, o que acontece com 100G ou 400G?
  2. Ter a capacidade de administrar a infraestrutura atual e futura – Contar com uma ferramenta de administração de infraestrutura (AIM) pode proporcionar uma imagem clara de sua infraestrutura e ajudar a compreender as capacidades e os pontos críticos. Isso faz com que seja mais fácil tomar decisões com conhecimento e responder rapidamente às interrupções, de forma que se tenha uma infraestrutura mais acessível e gerenciável a longo prazo.

  3. Planejar a flexibilidade – Desenvolver um projeto que tenha a opção de usar pacotes de 8, 12 ou 24 fibras, possibilitando o ajuste do tamanho da infraestrutura em cada passo do caminho, até uma largura de banda maior, é o ideal para otimizar o uso da sua infraestrutura de fibra, enquanto mantém 100% de utilização. Seu projeto deve ser compatível com vários tipos de fibra e estratégias de crescimento, que coincidam com suas futuras aplicações, porque não existe uma solução única para todos.

  4. Incorporar modularidade – Escolha painéis que possam aceitar uma variedade de módulos de fibra, de maneira que, o data center, ao crescer, tenha uma caixa comum e os técnicos possam simplesmente trocar módulos para passar para uma velocidade de dados mais rápida. O ideal é que o cabeamento e os módulos sejam implementados uma vez só, e os pontos de extremidade são os que devem ser trocados para mudar para velocidades maiores.

  5. Conheça sua estrutura de custos – Medir custos e benefícios de várias opções, para depois tomar a melhor decisão sobre o tipo de fibra e as soluções de conectividade que se adaptam aos objetivos de uma maneira rentável é de suma importância.

  6. Entenda o tempo adequado para a migração – O data center precisará migrar para velocidades mais altas antes do que se imagina, por isso escolher uma rota e um provedor que possam ajudá-lo será de vital importância. Com novos serviços em tempo real exigindo uma capacidade maior do data center, sua trajetória de HSM deve estar pronta para corresponder às necessidades que as aplicações de rede óptica exigem.

Esses são apenas alguns dos pontos a serem considerados. O nosso webinar traz ainda mais detalhes sobre o assunto. Assista agora gratuitamente!

E se quiser se preparar de forma completa com o apoio dos profissionais da ESR, matricule-se no curso Planejamento e Projeto de Infraestrutura para Datacenter (EAD).

0 0 votações
Article Rating
Inscrever
Notificar
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários
0
Adoraria seus pensamentos, por favor, comente.x
()
x