Guia Segurança de Redes: o que é, para que serve e tipos existentes.

Segurança de redes

A segurança de redes é uma das atividades mais importantes da área da tecnologia da informação por garantir a proteção de qualquer rede contra os diversos tipos de ataques cibernéticos, a instabilidade de dados e o acesso não autorizado. 

Em suma, essa área envolve ferramentas, tecnologias, rotinas e protocolos que garantem a conformidade da nuvem, afastando quaisquer, ou, o maior número possível, de ameaças e garantindo que a rede opere continuamente com seu melhor desempenho. 

Ao longo do tempo, com o aumento exponencial do mercado digital e a migração acelerada de grande parte das transações cotidianas para a rede, os cuidados com falhas precisaram ser redobrados. Principalmente agora com os contextos de  teletrabalho e computação em nuvem.

Como as vulnerabilidades estão presentes em qualquer lugar, as abordagens de segurança de rede precisam prevê-las com maleabilidade, atuando de ponto a ponto, nas bordas da rede e, também, internamente – camada a camada. 

Independente do segmento ou do tamanho da empresa, a segurança da rede é um tópico indispensável para a perpetuação da marca do mercado. 

Afinal, ativos (dados) e infraestrutura de rede corrompidos refletem diretamente em diversos prejuízos para as organizações, desde o financeiro ao de mau branding e descredibilização frente aos consumidores. 

Portanto, segurança de redes é um assunto imprescindível para qualquer profissional de TI, a qualquer momento. Confira um guia breve sobre o tema logo abaixo. 

O que é segurança de rede?

Como dissemos anteriormente, segurança de redes é a reunião de ferramentas, protocolos, tecnologias e rotinas configuradas para frear, impedir ou barrar ameaças, vulnerabilidade dos dados e também acessos indesejados ou não permitidos. 

Assim como existem diversas possibilidades de falhas na nuvem, há também diversos tipos de segurança de redes capazes de amenizar o complexo cenário de cibercrimes. 

Um dos principais pontos relacionados à segurança de rede é que as soluções escolhidas pelas organizações nesse sentido devem, primeiro, se adaptar às demandas de cada empresa e, segundo, abranger a maior quantidade de ameaças possíveis, visando integração e automação das plataformas e ferramentas. 

Como a segurança de rede funciona?

De forma superficial pode-se dizer que a segurança de redes opera por meio de hardware e software alinhados no gerenciamento ao acesso e no impedimento à instalação de diferentes ameaças na rede.

São diversas camadas de defesa combinadas na borda da rede para permitir acesso somente a usuários autorizados, e bloquear aqueles que têm potencial para executar ações indevidas.

Por aqui na ESR já descrevemos todo o caminho percorrido por qualquer tipo de segurança de rede, em um conteúdo exclusivo, para você acompanhar as etapas e detalhes dessa sistemática. Basta seguir este link!

4 Tipos de segurança de rede

Reiterando, existem inúmeros tipos de segurança de rede, que podem ser executados ou implementados de acordo com a demanda das empresas. Por isso, avalie e estude a melhor opção para o seu negócio. 

Abaixo apresentamos 4 exemplos que podem te auxiliar nesse processo. Confira: 

  • Firewalls 

Esse tipo de segurança de rede é um dos mais tradicionais, sendo representado por um hardware, software ou os dois. 

É uma solução que executa uma barreira entre a rede interna (de confiança) e as redes externas (não confiáveis). Em outras palavras, o firewall define o tráfego como desejável para seguir o caminho padrão ou tráfego indesejável que necessita ser bloqueado. 

Resumidamente, é uma observação de porta/protocolo que, ao longo do tempo, tem passado por ajustes e avanços para se adaptar aos ataques que se sofisticam. O objetivo é garantir que a conexão da rede, Internet e firewall sejam seguras. 

 

  • WAN

Esse pode ser considerado o tipo de segurança de rede da atualidade, pois garante a proteção, sobretudo, das modalidades de trabalho remoto, data centers e tráfego de internet entre filiais de empresas espalhadas por várias localizações, por exemplo. 

Com a Covid-19 e a necessidade do isolamento social, o trabalho remoto e, posteriormente, o híbrido requereu novas conexões e possibilidades de comunicação entre funcionários, geograficamente distantes, e, também, gerou demandas de negócios inéditas com os consumidores. 

Paralelamente a isso, os cibercrimes viram e miraram outros campos de atuação até então pouco explorados. Por isso, a proteção WAN e filial tornaram-se essenciais. 

Tecnologias tradicionais de rede de longa distância (WAN), ou soluções e ferramentas que asseguram uma conexão “blindada” entre vários usuários de diferentes locais são exemplos desse modelo de segurança da rede.

  • IPS

A sigla IPS significa sistemas de prevenção de intrusão e diz respeito ao modelo de segurança de rede que identifica atividades fora do padrão, reportando-as aos administradores de redes e, ao mesmo tempo, iniciando etapas preventivas contra os possíveis ataques. 

Dentre os exemplos de ação preventiva que o IPS pode implementar estão a configuração de outras ferramentas de segurança e ajustes nas políticas de segurança da organização. 

Dessa forma, essa solução atua de forma prática alertando sobre o ataque e agindo sobre o mesmo. Além disso, ajusta as políticas de segurança corporativa impedindo que os colaboradores se associem com atividades suspeitas.

  • Segurança em redes sem fio 

Outro conteúdo da ESR que aborda um modelo de segurança de rede se relaciona ao cenário “sem fio”. 

O principal benefício de implementar as melhores práticas de segurança em redes sem fio é a proteção de informações contra ataques cibernéticos.

As redes de computadores, em especial aquelas wireless, precisam ser monitoradas e protegidas contra o acesso de pessoas não autorizadas para evitar o roubo de dados e demais invasões maliciosas que possam prejudicar a sua empresa. Confira o artigo na íntegra aqui 

Qual a importância da proteção de acessos e redes?

Parece claro que garantir a segurança da rede seja uma tarefa essencial para qualquer negócio, certo? 

Entretanto, muitas empresas ainda têm defasagem nessa área e estão propensas a sofrerem ataques cibernéticos mais cedo ou mais tarde. 

A exemplo disso, a empresa Fortinet, de soluções em segurança cibernética, apresentou um levantamento sobre o cenário do cibercrime no Brasil no primeiro semestre de 2022. 

De acordo com o estudo, só nesses primeiros seis meses deste ano foram detectados mais de 30 bilhões de tentativas de ataques à redes de empresas no país. O número é 94% maior do que o observado no período de 2021.

Dessa forma, um dos principais benefícios e a importância de se investir em segurança de redes é blindar a empresa dos crescentes e, cada vez mais sofisticados, cibercrimes. 

Além disso, a segurança de redes é capaz de proteger a reputação das instituições, impedir que as vulnerabilidades se transformem em vazamentos de dados ou em infraestutura corrompida, manter a saúde financeira do negócio, uma vez que o mesmo não precisará arcar com custos de sanções ou chantagens dos cibercriminosos, e, também, contribuir para um relacionamento mais transparente com os consumidores, parceiros e fornecedores. 

Cursos na área de Segurança de Rede.

Diante da importância do tema “segurança de redes” e da sua incidência no cotidiano da tecnologia, a Escola Superior de Redes (ESR) elabora e atualiza uma trilha de conhecimentos específica desta área. 

Neste link você tem acesso a 28 cursos, com diferentes abordagens, para profissionais iniciantes ou experientes,  que irão garantir a plena capacitação técnica e prática sobre segurança de redes. 

Acesse e escolha o seu! 

0 0 votações
Article Rating
Inscrever
Notificar
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários
0
Adoraria seus pensamentos, por favor, comente.x
()
x