10 principais tendências de cibersegurança para se atentar em 2022!

cibersegurança

Já te falamos há algum tempo sobre os principais riscos da segurança da informação para empresas, lembra? Com os constantes desenvolvimentos da tecnologia e usos sofisticados de ferramentas por parte dos criminosos digitais, esse é um assunto que continua em alta! 

Abaixo você fica por dentro sobre quais são as principais tendências de cibersegurança para 2022, para preservar seus dados e de seus clientes. 

O Cenário no qual a cibersegurança está inserido em 2022

Com a pandemia da Covid-19, a adoção do trabalho remoto ou híbrido e o avanço em larga escala de múltiplas tecnologias, cresceram também as vulnerabilidades digitais individuais ou organizacionais. 

Em um cenário inédito, muitos funcionários e usuários se viram sem conhecimento digital adequado e, por isso, ficaram mais expostos aos golpes e crimes variados.

A exemplo disso, uma pesquisa realizada pela PSafe, uma das principais empresas de segurança digital da América Latina, identificou que o número de credenciais vazadas durante os primeiros seis meses de 2020 foi de mais de 4,6 bilhões. O que representa um aumento de 387% em comparação com o todo o ano de 2019.

Além disso, o estudo divulgou que em janeiro, fevereiro e setembro de 2021 cerca 600 milhões de dados foram vazados em três grandes ataques cibernéticos no Brasil. 

Outras 44,5 milhões de tentativas de estelionato virtual ocorreram e houve 41 milhões de bloqueios de arquivos programados para invadir redes das empresas e roubar ou sequestrar dados.

Ou seja, se você ainda não está por dentro do que o mercado espera para a cibersegurança em 2022, essa é a leitura essencial do dia! 

Tendências em Cibersegurança para 2022

1) Ransomware ainda é motivo de alerta! 

Esse risco para a segurança da informação organizacional permanece como uma das tendências em 2022. 

De acordo com um estudo do ‘2021 Ransomware Study’, do IDC, cerca de 37% de empresas ao redor do mundo disseram ter sofrido esse tipo de ataque no último ano.  

É por meio dessa instabilidade que diversos documentos acessíveis e armazenados em nuvem podem ser infectados, causando grandes prejuízos para as instituições.

O mercado entende que esse tipo de ataque não só permanecerá entre a rotina das corporações, como terá crescimento – uma vez que quase tudo foi adaptado para existir no formato digital durante o período 2020-2021. 

A principal dica para se evitar que essa seja uma realidade no seu negócio é instruir e educar os funcionários sobre o uso consciente de conteúdo digital.

Dessa forma, há a possibilidade de se evitar que eles caiam no conhecido “phishing”. 

2) Demanda por profissionais de cibersegurança 

Assim como as soluções digitais se tornam mais frequentes e as sofisticações de crimes virtuais também cresceram, era de se esperar que a demanda por profissionais especializados em deter tais ameaças fosse uma das tendências de cibersegurança para 2022. 

Essa é uma profissão que requer atualizações constantes e possibilita atuações diversificadas.

Uma das formas de se capacitar sobre o assunto e se destacar na área é por meio de webinars gratuitos, como o realizado entre a Escola Superior de Redes (ESR), o Centro de Atendimento a Incidentes de Segurança (CAIS) da RNP e o Instituto SANS.

Neste conteúdo são elencadas as maiores necessidades das equipes profissionais nesse contexto, além de ser abordado como os novos cursos do SANS, agora disponíveis no Brasil por meio da ESR, podem ser uma peça importante na construção das carreiras e dos times de segurança. 

Além disso, na ESR existem diversos treinamentos focados exatamente nessa área que podem transformar a sua carreira. Confira alguns abaixo: 

>>> Outros 25 treinamentos compõem a trilha de conhecimento de Cibersegurança da ESR. Escolha o seu favorito e comece a sua próxima especialização agora! <<<

>>> Outros 37 treinamentos compõem a trilha de conhecimento da parceria entre ESR e o gigante do mercado SANS. Escolha o seu favorito e comece a sua próxima especialização agora! <<<

3) Efeitos da LGPD no Brasil

Espera-se que com o primeiro ciclo de fiscalização da LGPD, que teve início em janeiro, os dispositivos da lei auxiliem à potencialização de uma cibersegurança mais eficiente. 

Por isso, além de ser uma tendência do segmento para os próximos meses, essa é também uma obrigação das corporações – a de se adequar às solicitações da norma. 

O objetivo desse processo é que usuários e instituições respaldem sua relação na transparência e segurança de dados. 

Para isso, a Lei Geral de Proteção de Dados, que entrou em vigor em agosto de 2021, se vale de diversos dispositivos normativos que, além de promoverem o uso de dados de forma consciente e com objetivos esclarecidos, servem também para a segurança da informação de usuários consumidores e prestadores de serviços. 

O principal objetivo desse ordenamento é dispor sobre o tratamento de dados pessoais, inclusive nos meios digitais, por pessoa natural ou por pessoa jurídica de direito público ou privado, para proteger os direitos fundamentais de liberdade e de privacidade e o livre desenvolvimento da personalidade da pessoa natural.

Ao decorrer dos próximos meses, portanto, é essencial que as empresas estejam de acordo com a regulamentação e, assim, evitem sanções. 

Na ESR, o curso “LGPD na Prática” oferece, de forma dinâmica e objetiva, ferramentas e o conhecimento necessário para essa adequação. É hora de liderar essas adaptações da LGPD na sua organização.

4) Utilização de pautas do dia a dia para phishing 

Como uma das tendências de cibersegurança para 2022 está a utilização de contextos do mundo factível, como Covid-19 ou outros tipos de emergências, para criação de conteúdos muito similares aos legítimos, que contenham links perigosos. 

A partir disso, o usuário será capturado pelo phishing para os mais variados usos – roubo de dados, informações confidenciais, senhas e etc. 

Para conter essa intimidação há sempre a possibilidade de capacitação do time profissional, para que ele reconheça quando estiver diante dessa ferramenta maliciosa. 

5) Outras ameaças à vista: cryptojacking

Embora menos agressivo que o ransomware, esse é um tipo de ataque que também chega aos computadores organizacionais ou pessoais por meio de phishing. 

O objetivo dessa forma recente de malware é se ocultar em dispositivos (móveis ou físicos) para roubar recursos do aparelho infectado, a fim de minerar moedas online valiosas, como Bitcoin, sem gastar com equipamento para isso.

Diferentemente de outras ameaças, essa é uma das que permanece oculta por mais tempo, de forma quase imperceptível, tornando imensurável o custo da invasão. 

Entretanto existem alguns sinais de infecção: computador mais lento, que usa a ventoinha mais do que o normal e uma conta de energia mais alta.

Essa é uma das tendências da cibersegurança em 2022 uma vez que que criptomoedas também encontram-se valorizadas no mercado. 

De acordo com a SonicWall, houve um aumento de 21% no cryptojacking no terceiro trimestre de 2021, além de uma elevação de 461% em toda a Europa.

6) Inteligência Artificial utilizada para sofisticação de crimes 

O deepfake, técnica de síntese de imagens ou sons humanos baseada em leituras de inteligência artificial, já é bastante conhecido no mundo dos memes, comédias e de sátira política. 

Provavelmente você já viu algum vídeo com o rosto e vozes de personalidades conhecidas dizendo algo que claramente não teriam dito na vida offline. 

A tendência de cibersegurança de 2022 relacionada a esse assunto aborda a preocupação com a utilização dessa ferramenta para a prática de crimes que visem burlar acessos biométricos, por exemplo.

Alguns riscos esperados com essa ferramenta: 

  • Uso de deepfake para burlar acessos de biometria
  • Uso das vozes dos CEOs das empresas para solicitar ordem de transferências financeira ou de dados aos funcionários (que não percebem se tratar de uma voz falsa)
  • Uso de imagens falsas para criação de roteiros embaraçosos com o objetivo de chantagear quem estiver no conteúdo audiovisual. 

Segundo dados da startup Deeptrace, essas peças, as deepfake, cresceram 330% de outubro de 2019 a junho de 2020. 

Portanto, é um assunto para se estar atento! 

7) Reuniões online deverão seguir uma conduta de segurança 

O trabalho remoto ou híbrido tende a se tornar o modelo adotado por boa parte das corporações. 

Nesse contexto, o uso de ferramentas variadas para reuniões online continuará no escopo de muitos funcionários e gestores. 

É aqui que uma nova ameaça precisa ser contida – invasões desses canais de comunicação por criminosos que pretendem ouvir os dados confidenciais dos encontros ou terem acesso a documentos e apresentações da empresa. 

Para não cair nessa armadilha algumas boas práticas podem ser seguidas, como: a limpa na lista de convites, proteção das videochamadas com senha ou permitir a entrada dos membros manualmente, por exemplo. 

8) Atenção para o 5G e IoT

Com a popularidade da Internet das Coisas (IoT) e as promessas de possibilidade de integração do 5G, os cibercriminosos têm também um novo ambiente para atacarem a sua infraestrutura.

Esses dispositivos em sua maioria não possuem proteção adequada ou que seja capaz de barrar ferramentas maliciosas. 

Entretanto, espera-se que a partir do desenvolvimento dessa tecnologia, desenvolva-se também a atualização de ferramentas que protejam e detectem riscos para as redes interligadas. 

9) O trabalho híbrido veio para ficar 

Nesse contexto em que as corporações não serão capazes de monitorar o acessos de seus funcionários, ferramentas para expandir essa avaliação e cuidado serão mais necessárias do que em qualquer outra época. 

Assim, como tendências de cibersegurança em 2022 estão: 

10) A crescente do seguro cibernético 

Essa é uma tendência que indica também uma oportunidade de mercado. Com a maturidade dos gestores, empresas e profissionais acerca do assunto cibersegurança a procura por seguros desse segmento torna-se comum. 

Dessa forma, as empresas que oferecem o serviço devem, cada vez mais, impor condições de cobertura mais rígidas. 

__________________________________________________________

Para todas essas tendências de cibersegurança em 2022, seja para potencializar o uso em rede ou se precaver os ataques criminosos, uma ação se faz essencial no seu negócio: capacitação profissional

Na ESR você e seus funcionários podem caminhar por uma trilha de conhecimentos sobre o tema, realizada em parceria com uma das empresas mais conceituadas do ramo no mundo – o SANS. 

Descubra um universo de treinamentos sobre cibersegurança, aqui! 

Referências: 

Linkadas
https://cio.com.br/noticias/7-tendencias-quentes-de-seguranca-cibernetica-e-duas-esfriando/
https://www.binarionet.com.br/blog-tendencias-e-desafios-da-ciberseguranca-para-2022/
https://canaltech.com.br/seguranca/veja-quais-sao-as-10-tendencias-de-ciberseguranca-para-2022-206614/

0 0 votações
Article Rating
Inscrever
Notificar
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários
0
Adoraria seus pensamentos, por favor, comente.x
()
x