A gestão de pessoas como pilar fundamental para o futuro do trabalho em TI

Gestão de Pessoas e RH para o TI

Segundo o recente relatório do Fórum Econômico Mundial, “The future of jobs”, entre 2023 e 2027, espera-se que a digitalização das operações e das práticas cotidianas exija a estruturação de diversas carreiras ligadas ao mercado de TI. O relatório também estima que, nesse período, as vagas para analistas e cientistas de dados, especialistas em Big Data e em aprendizado de máquina de IA e profissionais de segurança cibernética cresçam 30%.

Para se ter uma ideia do cenário, das dez profissões emergentes citadas na lista do fórum, sete são voltadas para a tecnologia da informação:

  1. Especialistas em Inteligência Artificial (AI) e Machine Learning;
  2. Analistas de Business Intelligence (BI); 
  3. Analistas de segurança da informação; 
  4. Analistas e cientistas de dados;
  5. Engenheiros robóticos;
  6. Especialistas em Big Data;
  7. Especialistas em transformação digital. 

Ou seja, os dados reverberam um futuro do trabalho diretamente conectado ao mercado de TI e às suas infinitas possibilidades de especialização. 

À medida que a transformação digital demanda mais e novos profissionais capazes de se adaptar a essa cadeia de produção inédita, as empresas também precisam se adequar para comportar e atrair esses colaboradores.

Neste artigo, vamos conversar mais sobre a importância da interseção entre os setores de RH e de gestão de pessoas e o de tecnologia da informação. 

Você é um integrante do departamento de RH ou GP e quer saber como contratar melhor? Fique conosco! 

Leia também: 👉 O que é preciso para começar uma carreira de TI?

Panorama do setor de TI para o mercado nos próximos anos

O relatório “Demanda de talentos em TIC e estratégia ΣTCEM”, publicado pela Associação Brasileira de Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), identificou que empresas de tecnologia vão requerer cerca de 797 mil talentos de 2021 a 2025. 

A demanda se estabelece em contraposição direta ao número de formandos na área, e a projeção da pesquisa nesse sentido é de um déficit anual de 106 mil talentos – 530 mil em cinco anos. 

Dessa forma, a gestão de pessoas (GP) e o RH passam a lidar com desafios relacionados com a atração de talentos de TI em um contexto de alta demanda e poucos profissionais aptos aos cargos. Em outras palavras, as vagas não mais refletem apenas oportunidades de emprego, como precisam representar a ideia de uma experiência de trabalho, com possibilidade de aprimoramento e evolução profissional. 

Às empresas compete, agora, observar quem são os talentos promissores, entre os recém-formados ou participantes de cursos de formação, a fim de assegurar sua contratação antes da concorrência. Mas isso não significa dizer que é necessário que as empresas abdiquem de requisitos básicos ou específicos para o preenchimento de posições tão importantes para os negócios. 

A melhor alternativa, então, para que as soluções e os serviços que dependem de TI tenham qualidade é combinar a propositura de vagas que realmente valham a pena com o conhecimento do cenário e do perfil de candidatos, além de uma disposição corporativa ao incentivo do aprendizado contínuo

O que os profissionais de TI esperam do mercado?

A 23ª edição do Índice de Confiança Robert Half elencou informações que podem auxiliar os departamentos de RH e gestão de pessoas a identificar o perfil desses colaboradores.

Veja os principais apontamentos do estudo:

  • 37% dos profissionais de tecnologia empregados preferem o trabalho integralmente remoto; 
  • 55% dos respondentes dizem preferir o regime híbrido; 
  • Para 35% dos trabalhadores da área, o modelo de trabalho é determinante no momento da escolha ou na permanência em uma companhia;
  • Outros 27% acreditam que o formato da jornada é relevante para uma eventual mudança de emprego, mas não decisiva;  
  • 62% dos profissionais empregados no setor de tecnologia estão dispostos a buscar um novo emprego caso a empresa opte pelo retorno 100% presencial;
  • Entre os profissionais que procuram a recolocação, apenas 17% dos desempregados se sentem confiantes na conquista de um novo emprego na área de qualificação nos próximos meses;    
  • Com relação à área de atuação, 62% dos entrevistados avaliam a conjuntura como boa ou muito boa; 47% compartilham a expectativa de permanência no atual emprego.

Além disso, de acordo com a pesquisa da FIA Employee Experience (FEEx), os profissionais de TI recebem 84% mais convites para participar de processos seletivos do que os trabalhadores de outras áreas. 

Como contratar e reter profissionais de TI com 11 dicas

Compreender o propósito da contratação de profissionais de TI para um negócio é um elemento-chave para dar prosseguimento aos processos de gestão de pessoas desse grupo. Assim, analise quais são os motivos que levam a empresa a buscar um colaborador de TI, alinhando as expectativas do cargo com os objetivos estratégicos da organização e com o perfil de candidato adequado à cultura organizacional da instituição. 

Tudo isso vai refletir em um processo seletivo mais estratégico e direcionado, capaz de preencher vagas com facilidade. Veja algumas dicas abaixo.

1) Faça o mapeamento estratégico de competências

Explore como identificar e definir as competências essenciais para os profissionais de TI que sua empresa busca. 

Estude o alinhamento entre as habilidades necessárias e as metas organizacionais, de modo a proporcionar uma base sólida para o recrutamento.   

🤝 Na prática:

Dica 1 realize sessões de brainstorming com os gestores de TI para identificar as competências técnicas e comportamentais essenciais para os projetos atuais e futuros.

Dica 2 utilize ferramentas de avaliação de competências para mapear as habilidades existentes na equipe, identificando lacunas e oportunidades de desenvolvimento.

2) Estruture processos de seleção inovadores

Descubra abordagens criativas e eficazes para o processo de seleção de profissionais de TI, desde entrevistas técnicas a dinâmicas de grupo. 

Explore métodos que vão além do tradicional currículo, ajudando a identificar talentos que se destacam.

🤝 Na prática:

Dica 1 – integre entrevistas técnicas com simulações práticas de desafios relacionados com o trabalho diário, proporcionando uma visão mais clara das habilidades dos candidatos.

Dica 2 – implemente avaliações de habilidades comportamentais, como dinâmicas de grupo ou entrevistas situacionais, para entender como os candidatos lidam com desafios e se encaixam na cultura da empresa.

3) Pense em estratégias de atração e retenção

Pense na possibilidade de inclusão de benefícios flexíveis, oportunidades de desenvolvimento profissional e uma cultura de trabalho que impulsione o engajamento e a permanência a longo prazo.

🤝 Na prática:

Dica 1 – desenvolva pacotes de benefícios flexíveis, para que os profissionais de TI escolham opções que atendam às suas necessidades, como horários flexíveis ou programas de bem-estar.

Dica 2 – promova uma cultura de reconhecimento, com destaque das conquistas individuais e de equipe, e ofereça oportunidades claras de crescimento dentro da organização.

4) Tenha foco na experiência do colaborador

Aprofunde-se na criação de uma experiência positiva para os colaboradores de TI, desde o primeiro contato até o desenvolvimento contínuo dele. 

Compreenda como um ambiente de trabalho favorável e oportunidades de aprendizado podem impactar diretamente na retenção do profissional.

🤝 Na prática:

Dica –  realize pesquisas de satisfação regularmente para entender a experiência dos colaboradores de TI na empresa e implemente melhorias com base nos feedbacks recebidos.

5) Atente-se à necessidade de adaptação contínua ao mercado

Mantenha-se atualizado com as tendências do mercado de TI, preparando-se para ajustar suas estratégias de contratação e retenção conforme o cenário evolui.

Seja parceiro inseparável da análise de dados do setor, preveja demandas futuras e adapte suas práticas para atrair os melhores profissionais.

🤝 Na prática:

Dica 1 – mantenha uma rede ativa de contatos na indústria de TI para estar ciente das últimas tendências, por meio da participação em eventos, conferências e grupos on-line.

Dica 2 – consuma conteúdos relacionados com o mundo da tecnologia, de TI e dos demais segmentos afins.

6) Invista em estratégias de gerenciamento de equipes remotas

Como vimos anteriormente, os profissionais de TI têm preferência pela modalidade híbrida ou remota. Assim, reter talentos é também explorar abordagens eficazes para liderar e gerenciar equipes de TI que operam remotamente, garantindo eficiência e colaboração.

🤝 Na prática:

Dica 1 – utilize plataformas de comunicação virtual eficientes para a realização de reuniões regulares, garantindo que as equipes remotas se sintam conectadas.

Dica 2 – estabeleça metas claras e mensuráveis para as equipes remotas, com indicadores precisos de produtividade e resultados, incentivando a autonomia e a responsabilidade individual.

7) Crie um plano individualizado de desenvolvimento profissional

Desenvolva planos personalizados para o crescimento profissional de cada membro da equipe, em que as metas individuais sejam alinhadas aos objetivos organizacionais.

🤝 Na prática:

Dica 1- facilite a participação de profissionais de TI em cursos de atualização e certificações relevantes para  mantê-los atualizados e competitivos.

Dica 2- ofereça programas de desenvolvimento contínuo, incluindo treinamentos específicos de TI, workshops e materiais, para incentivar o crescimento profissional da equipe de TI.

8) Divulgue as vagas de forma clara e objetiva

Garanta que as oportunidades de emprego sejam comunicadas de maneira transparente, incluindo as informações cruciais sobre o cargo, as especialidades necessárias e as habilidades desejadas. Além disso, é fundamental destacar que uma vaga deve ter o número de etapas adequadas para a identificação do melhor profissional para o cargo naquele momento.

Desenvolver um processo abarrotado de fases, que muitas vezes não têm um motivo de existir, torna a ação difícil não só para o candidato, como para os responsáveis pela seleção. 

🤝 Na prática:

Dica 1 – colabore com a equipe de TI para criar descrições de cargos claras, com destaque para as responsabilidades específicas e oportunidades de crescimento.

Dica 2 – pense na parceria com plataformas de recrutamento on-line e redes sociais de maneira estratégica para ampliar o alcance das vagas.

9) Atente-se para a demanda de habilidades comportamentais

Em um cenário desafiador, reconheça a importância das habilidades comportamentais e integre avaliações comportamentais às práticas de recrutamento e gestão de talentos.

🤝 Na prática:

Dica 1 – integre perguntas situacionais e comportamentais nas entrevistas para avaliar como os candidatos lidam com desafios e se adaptam a diferentes situações.

Dica 2 – realize treinamentos para os gestores de TI sobre a importância das habilidades comportamentais e como identificá-las durante a interação com a equipe.

10) Garanta a interconexão dos departamentos

Promova uma comunicação eficaz e sinergia entre os diversos departamentos da empresa, com o intuito de aprimorar a colaboração e evitar o isolamento de informações e células.

🤝 Na prática:

Dica 1 – implemente reuniões interdepartamentais regulares para promover a colaboração, compartilhar conhecimento e alinhar estratégias necessárias para o desenvolvimento de projetos de TI.

Dica 2 – estude e estruture plataformas de comunicação interna para criar canais que facilitem a troca de informações entre diferentes setores da empresa.

11) Desenvolva um canal de comunicação aberto e efetivo

Estabeleça um canal de comunicação robusto entre os colaboradores e o setor de RH, proporcionando feedbacks contínuos, correção de rotas e validação de decisões acertadas.

🤝 Na prática:

Dica 1 – estabeleça um sistema de feedback regular, para incentivar os colaboradores a expressarem suas opiniões e sugestões.

Dica 2 – use ferramentas de comunicação interna eficientes, como chat interno e intranet, para facilitar a comunicação entre os colaboradores e o setor de RH.

Com essas dicas, os processos seletivos para talentos de TI podem ganhar um caráter estratégico e ser menos oneroso para as empresas e para os gestores de RH. 

Conclusão

Um dos principais desafios dos gestores de RH no atual cenário do trabalho é se adaptar às demandas do mercado, dos usuários e dos próprios colaboradores, todos mais exigentes. Assim, além de entender a importância de um colaborador de TI para o dia a dia da empresa, o RH precisa também adotar estratégias e operações focadas na contratação e retenção desses talentos bastante específicos. 

O trabalho remoto é outro elemento que apresenta desafios para a dinâmica da empresa. Com isso, acertar qual é a melhor modalidade de atuação para cada empresa nas etapas de seleção e na contratação de profissionais, observando as diferenças que cada vaga desempenha no resultado final do negócio, se torna essencialmente complexo. 

A Escola Superior de Redes (ESR), líder em ensino para a tecnologia, possui um serviço para tornar todo esse processo mais adequado e menos oneroso para as organizações.

Na Consultoria Educacional da ESR, as empresas têm acesso a um serviço já consolidado no mercado, que oferece estratégias de aprendizagem corporativas, desenvolvidas de acordo com os objetivos e as necessidades de cada empresa.

O projeto auxilia gestores de TI e de RH a otimizar os recursos investidos no desenvolvimento profissional das equipes, entender quando e como contratar mais colaboradores, como, no caso, os programadores, e gerar resultados mais assertivos e alinhados aos objetivos da empresa.

➡️➡️ Entre em contato com um de nossos especialistas para entender como a Consultoria Educacional pode otimizar os processos de gestão de pessoas em sua empresa.

0 0 votações
Article Rating
Inscrever
Notificar
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários
0
Adoraria seus pensamentos, por favor, comente.x
()
x